Pontos de Interesse

Classificação
Featured/Unfeatured
Claimed/Unclaimed

Descrição: Fragas do Pinheiro, é um percurso pedestre de pequena rota (PR) de âmbito paisagístico que se alonga pelos caminhos agrícolas da freguesia de Pinheiro Novo. Apresenta uma extensão de 12 km com altitudes compreendidas entre os 830m e os 1149m e um nível de dificuldade médio/ alto, correspondendo a cerca de 5:00 horas de caminhada.

Ponto de Partida: Pinheiro Novo (coordenadas GPS)

Ponto de Chegada: Pinheiro Novo

Extensão: aproximadamente 12km

Nível de dificuldade: médio/alto

Duração: 5h00

41.5737722,-6.1910005

Descrição: É o ponto mais oriental de Portugal, onde de vislumbram os primeiros raios de sol.

Parque Natural do Douro Internacional.

41.80439,-6.746507

A pequena e singela capela de São Sebastião ostenta um retábulo-mor neoclássico com uma imagem do padroeiro. Terá sido fundada numa época de peste e resultará de um voto feito por D. Manuel em 1505, no momento em que a peste assolou o reino. Este monarca prometeu erigir nos arrabaldes de todas as cidades uma ermida dedicada a São Sebastião.

Datação: século XVI (1569).

Est. De Conservação: bom.

Lendas e Tradições: da capela de São Sebastião saía a imagem de São Jorge para a procissão do Corpus Christi, sendo acompanhada por um piquete de cavalaria e de militares. A Câmara estava obrigada a conduzir a sua imagem, no dia 23 de Abril, à capela de São Jorge perto de Vila Nova, onde se fazia uma missa campal no seu exterior, isto porque o povo tinha receio que a imagem, ao passar para a outra margem da ribeira onde se encontravam as ruínas, nunca mais de lá sairia.

Fonte: Património dos Concelhos da Terra Fria Concelho de Bragança VOLUME I

41.852957,-6.932008

A ponte é composta por dois arcos de volta perfeita, tem um tabuleiro de 42 m de comprimento e 3,80 m de largura e 15,7m de altura. As guardas são de xisto e a montante surge um talha-mar.

No arco da margem direita há três agulheiros, do outro lado do intradorso a ponte assenta no afloramento rochoso. Este arco tem 6,2m de altura e 6,6 m de largura máxima, enquanto o arco da margem oposta tem 13,1m de altura e 9,6m de largura.

Datação: trata-se de uma ponte romana reconstruída no período Moderno.

Encontra-se no traçado norte da via romana XVII.

Est. De Conservação: bom.

Fonte: Património dos Concelhos da Terra Fria: Concelho de Vinhais VOLUME I

41.4922784,-6.2746211

Igreja pertencente a um convento barroco, remodelada e adaptada a Biblioteca Municipal, mas mantendo partes da estrutura primitiva. O convento foi construído pelos frades descalços da Ordem da Santíssima Trindade, com licença de Dom João V. A igreja foi depois construída entre 1718 e 1728, sendo a biblioteca aqui instalada em 1999. Estado de Conservação: Muito Bom

41.835437,-7.000029

Não se sabe quando terá sido mandado edificar e que monarca o terá ordenado, no entanto alguns autores defendem que teria sido o rei D. Dinis, uma vez que existem referências a obras na Praça de Vinhais com construção de algumas torres durante o seu reinado. Pela sua localização fronteiriça, o castelo teve grande importância militar, pois o território desde sempre foi cobiçado por monarcas vizinhos.

Ao longo da história esta muralha foi rampa de várias lutas, heroicamente salva pelos seus habitantes.

Classificação: Classificado como Imóvel de Interesse Público, Dec. Nº 36 383 DG 147 de 28 de Junho de 1947.

41.473469, -6.356709

Cruzeiro oitocentista, do tipo encruzilhada, constituído por dois degraus quadrados, um fuste liso e, no cimo, um capitel compósito sobre o qual assenta uma cruz latina de secção circular.

Datação: Século XIX (1875) Estado de Conservação: Bom

41.568264, -6.720780

O acesso a este templo, de grandes dimensões, é feito por uma escadaria ampla. No adro ajardinado da igreja há uma pia de água benta proveniente da capela arruinada de Santa Eulália, onde se diz ter existido a cidade de Medea. Na imponente fachada destaca-se a alta torre sineira de três registos. No interior há 9 altares de talha policroma; um púlpito revestido a talha; o baptistério de granito e o altar-mor sobrepujado pelas armas nacionais.

Datação: poderá ter sido construída ou reconstruída em 1757.

Est. De Conservação: bom.

Lendas e Tradições: numa casa da Rua da Fonte do Mouro, no Bairro do Pereiro, subsiste a memória do local de assento da antiga paroquial. Trata-se de uma pedra com a data 1622. As principais festividades religiosas desta vila são a de São Sebastião (no 3º Domingo de Janeiro), a de Santo Apolinário (no último Domingo de Julho) e a de Nossa Senhora da Assunção (a 15 de Agosto). Aqui também se realiza uma feira quinzenal (a 8 e a 26 de cada mês) e uma feira anual (a 8 de Dezembro).

Fonte: Património dos Concelhos da Terra Fria Concelho de Bragança VOLUME II

Alguma vez pensou no impacto ambiental que as suas ações têm no planeta – os transportes que utiliza, a escolha dos produtos que compra no supermercado, os hábitos energéticos em casa e no local de trabalho? No Centro Ciência Viva de Bragança poderá descobrir como o mundo da energia e do ambiente é uma presença constante no nosso dia-a-dia.

Acesso livre à Internet/Cafetaria

41.889314, -6.918077

Datação: Época Moderna (conjetural).

Descrição: a igreja de Fresulfe tem planta longitudinal de uma nave. O portal de verga lisa tem jambas apilastradas e encontra-se encimado por um frontão triangular, dentro do qual surge um nicho flanqueado por volutas e um óculo. Esse frontão está truncado por um friso que separa os primeiros registos da frontaria. No último registo surge a sineira no remate deste conjunto, com três vãos para os sinos, que se encontra ornada por volutas e apresenta quatro pináculos nos extremos laterais e uma cruz no topo.

Na nave há azulejos nos lambris, tijoleira no chão, teto de forro de madeira e altares de talha. Na cabeceira a cobertura de madeira está decorada com pintura popular, onde se representam Cristo e os Apóstolos.

Est. De Conservação: bom.

Lendas e Tradições: as principais festas de Fresulfe são dedicadas a Nossa Senhora do Rosário (1º Domingo de Outubro), a Santo Estevão (26 de Dezembro) e a Nossa Senhora da Assunção (15 de Agosto).

Fonte: Património dos Concelhos da Terra Fria: Concelho de Vinhais VOLUME I

Showing 1 - 10 of 348 results