Pontos de Interesse

Classificação
Featured/Unfeatured
Claimed/Unclaimed
41.834853, -6.99975

Descrição: Localiza-se dentro do recinto amuralhado do Castelo de Vinhais e está delimitado por casas de um ou dois pisos de arquitetura vernacular. A sua construção remonta ao período Manuelino.

Edificado em granito e sobre soco hexagonal de cinco degraus que assenta a base prismática da qual sai o fuste liso da coluna, de idêntica configuração, privado, porém, de capitel. No cume predomina o grande bloco profusamente lavrado com motivos manuelinos; escudo nacional, duas mãos, dois pés e duas maças; abrangido por "corrente" e coroado por quatro braços culminados em cabeça de serpente com argola na boca e ladeada de florões, suportando base tronco-cónica ostentando esfera armilar pétrea que, na origem, terminaria na característica cruz de Cristo.

Classificação: Monumento classificado, IIP – Dec. nº 23122, de 11 de Outubro de 1933

41.804266, -6.749516

O pelourinho tem uma base poligonal, de três degraus, onde assenta uma figura zoomórfica, a Porca da Vila, em cujo dorso se eleva uma coluna cilíndrica lisa, de 6,40 metros de altura rematada por um capitel, do qual parte uma cruz de braços iguais cujos torsos são decorados por carrancas representando motivos geométricos, zoomórficos e vegetalistas. No remate surge um sinelo que segura um escudo com as armas da cidade Bragança.

Lendas e Tradições: nas imediações do castelo, no lado Poente, desde o século XV existiu a igreja paroquial de Santiago, destruída no século XVII. No lugar desse templo foi colocado o pelourinho da vila de Bragança, que até 1860 esteve situado em frente da casa da Câmara.

Datação: Época Medieval.

Classificação: MN (Dec. de 16-6-1910).

Fonte: Património dos Concelhos da Terra Fria Concelho de Bragança VOLUME I

41.869729,-6.952114

Pelourinho Manuelino, levantado por volta de 1512. Não resistiu à extinção do concelho, tendo sido reconstruído por volta de 1932.

É de granito, oitavado, decorado por três ordens de ornatos que se repetem, alternando em cada face do octógono. Num dos lados, uma torre com três janelas, terminadas em triângulo coroado por uma cruz, no outro, um triângulo encimado por três círculos contínuos em linha reta e no outro uma carantonha. O centro da base apresenta o orifício onde encaixa o fuste da coluna.

Classificação: Imóvel de Interesse Público: Decreto-lei n.º 23122, de 11 de Outubro de 1933.

 

41.469169,-6.576889

Pelourinho assente numa plataforma de 4 degraus de secção quadrangular. Apresenta uma coluna de fuste hexagonal ornado por florões, encimada por uma cruz de quatro braços e está rematado por um capitel prismático, com uma esfera armilar e um plinto com o escudo de Portugal. Datação: pelourinho manuelino do século XVI. D. Dinis terá dado a comenda de Algoso à Ordem do Hospital, a 13 de Fevereiro de 1291. Em 1480 teve carta de foral outorgada por D. Afonso V, depois reformada por D. Manuel I em 1510. Em meados do século XIX foi extinto o concelho de Algoso. Classificação: IIP (Dec. nº23 122, DG de 11 Outubro 1933). Est. De Conservação: bom. Fonte: Património dos Concelhos da Terra Fria: Concelho do Vimioso, VOLUME I

41.870776, -6.950900

O pelourinho assenta num soco de 5 degraus de secção quadrada, de aresta viva. A coluna tem um fuste de superfície lisa, sendo a metade inferior de secção quadrangular e a superior oitavada.

O capitel prismático apresenta as faces um pouco côncavas com duas molduras, entre elas há um brasão e elementos heráldicos. Sobre este surge um bloco irregular tipo pinha com motivos heráldicos, onde se apoia uma peça quadrada, sobre a qual se encontra uma cruz de Cristo de granito.

Datação: século XVI (conjectural).

Classificação: IIP (Dec. nº23 122, DG 231 de 11 Outubro1933).

Est. De Conservação: razoável.

Fonte: Património dos Concelhos da Terra Fria: Concelho de Vinhais VOLUME I

 

41.711135, -7.079694

 Consta de um escadório circular de três degraus, sobre o qual assenta a coluna octogonal, coroada por um capitel trapezional, tendo por cima uma espécie de calote. Não tem ornato algum e é todo de cantaria.

Datação: medieval.

Classificação: Imóvel de Interesse Público: Decreto-lei n.º 23122, de 11 de Outubro de 1933

Est. De Conservação: bom.

41.879790, -7.173016

Todo em granito, consta de quatro degraus dispostos em forma circular, acima dos quais se eleva o fuste cilíndrico, terminando em carantonhas das quais arrancam quatro braços terminados em cabeça de serpente, que lhe dão arranjo único no distrito de Bragança.

Classificação: Imóvel de Interesse Público: Decreto-lei n.º 23122, de 11 de Outubro de 1933.

41.739956, -6.823742

Pelourinho rústico formado por uma base de granito onde assenta uma coluna tosca de fuste oitavado ornamentado, a meia altura, por semi-esferas e sobrepujado por um capitel cúbico, com arestas parcialmente cortadas por golpes côncavos. O conjunto é rematado por uma calote esférica.

Classificação: IIP (Dec. nº23 122, DG 231 de 11 Outubro 1933).

Datação: século XII/XIV.

Est. De Conservação: mau.

Fonte: Património dos Concelhos da Terra FriaConcelho de Bragança VOLUME I

41.668432, -6.861650

O pelourinho ergue-se sobre dois degraus assentes no afloramento rochoso. A coluna tem um fuste octogonal com anel de ferro. O remate é feito através de um bloco, ou capitel prismático quadrado, com as faces rebaixadas decoradas com baixos-relevos historiados, hoje bastante apagados, mas onde se pode ver uma cara e uma cruz de Santo André.

Datação: Medieval (conjectural).

Classificação: IIP (Dec. nº23 122, DG 231 de 11 Outubro 1933).

Est. De Conservação: razoável.

Fonte: Património dos Concelhos da Terra Fria Concelho de Bragança VOLUME I

41.725370, -6.753157

O pelourinho de "coluço" tem um soco de dois degraus quadrangulares, bastante toscos, e assenta numa base quadrangular. O fuste também quadrado é liso. No remate surge um bloco prismático, no qual uma das suas 4 faces apresenta uma roda que poderá representar um sol. Na base deste pelourinho terá estado encaixada uma escultura zoomórfica, um berrão de 1,23 m de comprimento, que está guardado no Museu de Bragança. Datação: séculos XIII/XV. Classificação: IIP (Dec. nº23 122, DG 231 de 11 Outubro 1933). Est. De Conservação: mau. Fonte: Património dos Concelhos da Terra Fria Concelho de Bragança VOLUME II

Showing 1 - 10 of 17 results