Pontos de Interesse

Classificação
Featured/Unfeatured
Claimed/Unclaimed
41.804206, -6.749049

Datação: século XV (1409-1449).

Descrição: a torre de menagem é uma construção gótica de planta quadrangular, de três pisos com 33 metros de altura e 17 de largura, onde se salientam as ameias, as janelas em ogiva e as seteiras. Na fachada Sul rasga-se uma janela ogival geminada, ornada por trifólios e quadrifólios, sobre a qual assenta o escudo da dinastia de Avis. O primeiro andar da torre dá acesso, através de um saguão vertical, à cisterna. Esta estrutura está rodeada por uma segunda cinta de muralhas. Na Torre de Menagem funciona o Museu Militar de Bragança, onde se podem encontrar peças de artilharia. O acervo museológico, que é bastante representativo da evolução do armamento ligeiro dos séculos XVI ao início do século XX, está dividido pelos três pisos da torre.

Est. de Conservação: bom.

 

Fonte: Património dos Concelhos da Terra Fria Concelho de Bragança VOLUME I

41.830816,-6.999739

Descrição: Não é possível datar a sua construção, atribuída aos Godos, mas pensa-se que esta remonte ao período pré-românico, entre os séculos IX e X, tendo a igreja sido posteriormente ampliada, provavelmente no século XIII. Na sua fachada encontram-se esculpidas as imagens que, segundo o povo, representam as três figuras da Santíssima Trindade, consideradas por alguns historiadores as representações do género mais antigas de Portugal.

Na soleira da porta é possível observar a marca de ferraduras de um cavalo e que dão corpo a uma das muitas lendas que envolvem o templo.

Classificação: Monumento Classificado IIP – Dec. nº 95/78, DR. 210 de 12 de Setembro de 1978.

Horário: com marcação prévia

41.835089, -6.999702

Descrição: O Centro de Interpretação da Natureza do Parque Natural de Montesinho está alojado na denominada Casa da Vila, um edifício construído em 1930 pelo tenente Horácio de Assis Gonçalves, secretário particular de Oliveira Salazar. A edificação da casa foi realizada aproveitando-se uma parte sul da muralha do castelo de Vinhais e a Torre Este da muralha medieval situa-se dentro da propriedade, tendo sido adaptada para uma capela particular devota de N.ª Sra. da Conceição.

Horário: Terça-feira a Domingo, 9h00-12h30 / 14h00-17h30

41.3831924, -6.3258309

Descrição: Situado junto ao Castro da Cigaduenha, num aglomerado rochoso cujos rebordos a sul caem a pique, sobre o Douro.

41.804302,-6.748835

Este sistema defensivo é composto por uma muralha, com a barbacã actualmente bastante reduzida e pelo castelo que inclui a Torre de Menagem, uma cinta amuralhada de menores proporções que envolve esta torre, a Torre da Princesa e o "Poço do Rei". A muralha que encerra a praça de armas, com um perímetro de 600 metros, é rematada por ameias e acompanhada pelo caminho de ronda. Tem 15 cubelos e o grosso muro, de 2 metros de espessura, é interrompido pela Porta da Vila, a Porta de Santo António e no lado oposto a Porta do Sol e a Porta da Traição.

Est. De Conservação: muito Bom.

Datação: século XV

Classificação: Monumento Nacional (Dec. De 16-6-1910)

Fonte: Património dos Concelhos da Terra Fria Concelho de Bragança VOLUME I

41.795856,-6.747161

Este edifício religioso tem vindo a ser remodelado ao longo dos tempos. Apresenta uma fachada divida em três corpos, com seis janelas gradeadas e uma porta de arco de volta perfeita no espaço central. O remate da fachada é feito pela sineira que interrompe a empena. Nela surgem três vãos para os sinos coroados por uma cruz no topo e dois pináculos nos cantos.

Datação: Época Contemporânea.

Est. De Conservação: bom.

Fonte: Património dos Concelhos da Terra FriaConcelho de Bragança VOLUME I

41.6273734 -6.2723573

Igreja medieval remodelada, constituída por duas naves, uma fachada de tipo torre escalonada e um alpendre lateral. No interior, destaque para alguns retábulos de talha datados do século XVIII. Foi construída na Idade Média e remodelada e ampliada entre o século XVI e o século XVII.

Iglesia medieval rediseñado, consta de dos naves, una fachada de tipo torre y un pórtico lateral escala. En el interior, especialmente algunos retablos tallados en madera que datan del siglo XVIII. Fue construido en la edad media y remodelado y ampliado entre el siglo XVI y XVII.

Datação: Idade Média/ Século XI e XII

Estado de Conservação: Razoável

 

 

41.4741779,-6.3093449

Datação: Séc. XII - XVIII

Descrição: É dedicada a Santa Leocádia. Interiormente, a única nave apresenta-se dividida em três tramos pelas silhuetas dos arcos diafragma de curvatura apontada que, exteriormente, se acusam em pesados contrafortes. Embora a cobertura interior do corpo seja de madeira, a do presbitério mostra uma abóbada de caixotes. No lado da epístola, acomodando-se entre dois gigantes, individualiza-se a capela do Santo Cristo, obra coberta com uma abóbada de berço e datada de 1692. Esta configuração corresponde a uma renovação do templo medieval de que se conservam alguns sinais, visíveis no arco ligeiramente apontado e nas mísulas de suporte de cornijas que ainda integram o paramento do lado do cemitério. Na área da diocese, esta igreja é uma das poucas em que a entrada principal tem uma disposição lateral. Estamos assim perante uma fachada principal cega, à semelhança de modelos leoneses e castelhanos.

Fonte: MOURINHO – António Rodrigues – Arquitetura religiosa da diocese de Miranda do Douro-Bragança, Sendim, 1995. RODRIGUES, Luís Alexandre – De Miranda a Bragança: arquitetura religiosa de função paroquial na época moderna, Dissertação de Doutoramento em História da Arte apresentada à Faculdade de Letras da Universidade do Porto, Bragança, 2001 (3 volumes).

Estado de Conservação: BomLendas e Tradições: O povo diz que a fachada está entaipada porque durante o domínio espanhol a entrada lateral passou a ser a principal por estar voltada para o país vizinho (Espanha). 

41.400562, -6.364369

Situada no alto de uma pequena elevação, de onde se pode obter uma vista panorâmica da aldeia e arredores, esta capela foi construída em estilo românico, sendo provável que possua uma necrópole romana. A capela de Santo Cristo desempenhou o papel de igreja paroquial de Picote até à construção da atual igreja. Como em qualquer terra portuguesa, também o povo de Picote tem a sua festa dedicada ao Santo Cristo.

Datação: Igreja de raiz românica

41.865360, -6.847629

Igreja maneirista de planta rectangular, com um alpendre quadrangular. Tem uma nave única, capela-mor e sacristia adossada do lado esquerdo. Apresenta cobertura única em telhados de duas águas, excepto no alpendre onde a cobertura é de três águas. Todos os alçados são percorridos por um embasamento e cornija, com cunhais rematados por pináculos. O espaço interior apresenta paredes rebocadas e o rodapé pintado de azul. O coro alto de madeira tem balaustres e escada de acesso do lado da Epístola. Na nave destacam-se: quatro capelas colaterais, de arco de volta perfeita; a porta de acesso ao coro alto e ao adro; a pia de água benta e o púlpito sobre mísula com balaustres.

Datação: século XIV (conjectural) / Idade Moderna

Est. De Conservação: bom.

Fonte: Património dos Concelhos da Terra Fria Concelho de Bragança VOLUME II

Showing 1 - 10 of 189 results