41.89501, -7.053555

Datação: Monumento religioso datado da segunda metade do séc. XVIII.

Descrição: A fachada deste santuário decorado por ondulantes ornatos rocaille está forrada a azulejos de estampilha amarelos e brancos. O portal principal está encimado por um óculo quadrilobado, gradeado e com vidraça, que se encontra sob o brasão das quinas. No topo, a coroar este conjunto surge uma coroa de ferro forjado. Obra de arquitetura do então moderno Rococó.

Est. De Conservação: bom.

Lendas e Tradições:  Conta a lenda que num dia de Verão uma menina muda andava a pastar o gado no lugar de Pereiros, junto das ribeiras de Santa Maria (depois de Santo Cristo), onde terá sido abordada pela Virgem dos Remédios, que lhe ofereceu água de uma fonte aberta no chão. No regresso a casa a menina pensava num modo de transmitir estes acontecimentos à sua família, quando se apercebeu de que já consegui falar.

No local da nascente, depois batizado com o nome de “Hortinha do Conde”, há uma fonte de granito, onde muitos habitantes de Vinhais iam buscar água tidas como medicinais.

Passado algum tempo, quando a pastora fazia a sesta, a Virgem voltou a aparecer, levando-a para junto de um fio de água que fez surgir do solo, dando-lhe de beber das suas mãos. A menina, curada pela virgem, entoou um hino de louvores e perguntou à sua benfeitora o porquê de tal benção. Ela respondeu que o povo não era muito devoto e ordenou-lhe que lhe dissesse para não trabalhar ao Domingo e não faltar à missa.

A terceira e última aparição ocorreu, mais uma vez, na ribeira junto à ermida dos Remédios. A pastora, que se encontrava a merendar, avistou a virgem envolta numa nuvem. Esta mandou-a dizer às gentes da sua terra que mudassem o seu templo para o cimo do povo, no lugar onde vissem um círculo de neve que indicaria a sua localização e o seu tamanho e deu-lhe algumas moedas para a ajuda da sua edificação.

Morada
Tuizelo, Vinhais